Maktub

Maktub

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Animação



Levanta essa fronte abatida
Olhe o diáfano azul do céu
Não pretenda ser pessoa vencida
Mas,forte,vencedora,menestrel.

Trago o conforto da palavra amiga
Estendo a mão, o ombro a você,
Numa mensagem de ânimo, uma cantiga
Mas reaja dessa prostação, pra vencer.

Levanta esse olhar baço e vazio
Olhai os lírios do campo, a açucena
Revestidos de beleza e floração
Deus soprou naquelas vidas, mesmo pequenas.

Estiveram abatidas pelo estio
Ergueram-se da força que na fé acampa
A mesma força que sopra em seu coração
Levanta a fronte pra vida,com animação.

(Maria Morais)

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Escudo da Fé

E quando eu achava estar tudo perdido
Um anjo do Senhor soprou ao meu ouvido:

Fé e tranquilidade para atravessar a tempestade...

Suavizou as ondas do mar de escuridão
Me fazendo enxergar a luz do meu próprio coração

Presenteou-me com um escudo e pôs o leme em minha mão.
Disse: não tenha medo não, e findou apontando pra constelação...



Me lembrando que no inicio dos tempos Deus  já havia escrito nas estrelas a minha história de ascensão

quinta-feira, 4 de novembro de 2010


Sou semente
Sou árvore crescente
Sou folhas a cair e a renascer
Sou flores a desabrochar
Sou o amor a se expressar
Sou espinhos a machucar
Sou a dor a apurar
Sou frutos a ensinar


Sou semente a semear....

domingo, 10 de outubro de 2010

Tempo de vestibular


Tempo de vestibular

Depois de muito estudar
Pro canudo de papel conquistar
Eis a pergunta que não quer calar
Qual é o curso do vestibular?
Meus pais a me questionar
Os tios a cobrar
Os amigos a se adiantar
A sociedade a me pressionar!
Cegos querem me guiar
Presos me aprisionar
Todos a lutar
Por um falso tesouro a enganar.
Não que eu queira me esquivar
Do sistema a governar
O que quero é encontrar
Verdadeira vocação no meu peito a pulsar!
Por isso vou devagar,
A me explorar
Sei que tenho tesouros a encontrar
E pedras brutas a lapidar...
Romântica? você pode ate pensar
Mais.Vivo de utopias a sonhar!
Agora você pode ate zombar
Não vivo mais pra agradar
O tempo
A passar...
O velho na cama está a se lastimar
A mesma pergunta que hoje me faz pensar
Também já foi a ele interrogar
Em outra época ele se pôs a declarar:
Uma das três opções irei marcar
Engenharia,medicina ou direito são os cursos do vestibular.
E lá está,
o velho gágá
a se lastimar.
O verdadeiro sucesso não soube alcançar!
O tempo
A passar....
O amor
a faltar...
o mundo,
a rodar...
Eu?
a me procurar...
Cansada de rodar
e rodar...
Sem me encontrar
E a pergunta a me interrogar......
A gritar!
A ecoar!
me perturbar ......
A pressão
a se agonizar
O vulcão a fervilhar....
A se
D
E
R
R
A
M
A
R
Em palavras
Pra me aliviar................!!!!!!!!!!!!!


O morcego

Meia-noite. Ao meu quarto me recolho. 
Meu Deus! E este morcego! E, agora, vede: 
Na bruta ardência orgânica da sede, 
Morde-me a goela igneo e escaldante molho.

"Vou mandar levantar outra parede..."
— Digo. Ergo-me a tremer. Fecho o ferrolho
E olho o teto. E vejo-o ainda, igual a um olho,
Circularmente sobre a minha rede!

Pego de um pau. Esforços faço. Chego
A tocá-lo. Minh'alma se concentra.
Que ventre produziu tão feio parto?!

A Consciência Humana é este morcego!
Por mais que a gente faça, à noite, ele entra
Imperceptivelmente em nosso quarto!

Augusto dos Anjos 


Inconsciência

O sol nasceu.
A maré estava agitada
Trouxe pra beira da praia
Os bichos que vivem no fundo do mar.
O Sol se pós
E eles vão voltando para o fundo do mar
Para de sujeira se alimentar.
No mar escuro
Os bichos estão com fome
Não tem alimentos como tinham antes.
Eles se enfurecem no fundo do mar
Viram monstros a rondar e assustar.
Debaixo do sol
Eu pego meu anzol
Das profundezas trago um a superfície
Ele esperneia e se agoniza.
_A luz do sol faz acalmar
A luz do sol vai te curar...!



Serenata

Permita que eu feche os meus olhos,
pois é muito longe e tão tarde!
Pensei que era apenas demora,
e cantando pus-me a esperar-te.

Permite que agora emudeça:
que me conforme em ser sozinha.
Há uma doce luz no silencio,
e a dor é de origem divina.

Permite que eu volte o meu rosto
para um céu maior que este mundo,
e aprenda a ser dócil no sonho
como as estrelas no seu rumo.

(Cecília Meireles)

sábado, 9 de outubro de 2010





Vivendo em dualidade

Ouço a voz do bem
O som do amor
Ouço a voz do mal
O som da dor
Vejo a Verdade
Em meio a ilusão
Vejo a luz
Dentro da escuridão.
Quero chorar
Porque não sei mais me amar
E nem confiar
Na voz do bem que deixei de escutar
Hoje não sei mais me alimentar
Dos pensamentos bons a governar
Dei confiança a  uma voz de tristeza
Que cobriu a minha alma de fraqueza
Ela fala como coitada
É sozinha ,não tem amigos nem nada
Se acha e vive desprezada.
Ao Mestre do amor
Peço que cure a nossa dor
Minha e de tudo que atraí que não se alimento do amor
Ele me faz compreender a provação
A lei da atração
O mistério da transformação
A escuridão que ronda a luz do coração.
É o marginal
A mando do mal
É a tentação
A treva do astral.
Mude logo de lugar
Procurar faz encontrar
Tem que aprender a rezar.
Oh,Pai!Me ensina a amar
A quem eu devo amar
Para escutar
A voz que vai me curar.
Eu sou filho de Deus
Eu devo ter amor
Eu não vou mais ligar
Para os olhares a julgar.
Quero ter esperaça
Deus me de a confiança
Para eu deixar pra trás
O que não me convém mais.
Eu quero renascer
Viver, Crescer e Ser.
Eu vou imaginar
Um jardim a ensinar
Vou desabrochar com a flor
Vou transformar no amor
Do nosso pai Criador!
Uma voz à atrapalhar
E outra vem me confortar:
Para Ser basta Amar

Buscar,ter Fé e Acreditar!

Cem / Sem palavras

Ando vendo o mundo
Adormecer lentamente
Ando vendo-o!O mundo
A enlouquecer toda sua gente

Nas suas histórias
E vidas
Suas palavras mirabolantes
Estou perdendo-me do mundo
A cada instante

Cada parte em mim
E semelhante,
Porém incostante.
Ao mundo,aos que o têm.

Desperto e adormeço.
Sou quem?

(Isabella Calijorne)

Máscaras

As vezes nos construímos
Mascaras sobre máscaras
Para esconder que estamos mascarados

De tanto nos escondermos
Atrás das máscaras
Ficamos escondidos de nos mesmos
Passamos a crer no que não somos
E nos perdemos

Nos dias em que uma máscara cai
Ficamos tão desnudos
Que desabamos,também caídos

E só nos levantamos
Se formos vistos
Apesar das máscaras
Através das máscaras
Por trás das máscaras

Por um espelho que
Nos reflita,alem da imagem
Como somos

De modo que pouco a pouco
Novamente nos reconheçamos

(Bilá Bernardes)
Sob a mesma luz

Um mundo
Você sob a luz do luar,
Um mundo distante
Eu sob a mesma luz a pensar:
Eu não posso me transportar
A única coisa que pode me levar
É um simples duplo olhar pro luar
Se olharmos juntos
Meu amor atravessa os céus!
Nossos corações são capazes de se encontrar
Será?
Ele pode estar olhando pro mesmo lugar
Mas com os pensamentos longe de mim estar.
Choro debaixo do meu cobertor estrelado
E tento viver sem pensar
Até para o céu olhar,
A única coisa que podemos juntos compartilhar!
O melhor é me afastar...
Pra não me iludir e me magoar
Mas não adianta apenas tentar acertar
Em todos as minhas observações
Apenas em você irei pensar!
Em mim também

VI

Em mim também, que descuidado vistes,
Encantado e aumentando o próprio encanto,
Tereis notado que outras cousas canto
Muito diversas das que outrora ouvistes.

Mas amastes, sem dúvida ... Portanto,
Meditai nas tristezas que sentistes:
Que eu, por mim, não conheço cousas tristes,
Que mais aflijam, que torturem tanto.

Quem ama inventa as penas em que vive;
E, em lugar de acalmar as penas, antes
Busca novo pesar com que as avive.

Pois sabei que é por isso que assim ando:
Que é dos loucos somente e dos amantes
Na maior alegria andar chorando.


(Olavo Bilac)

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Tempo

No tempo que penso
Que penso no tempo
Não fica momento
Tão breve que seja
Que passe depressa
Ou ate vagaroso
Levando essa doce
Visão de alento
Que vai e que volta
Surgindo do nada
Chegando a ser tudo
E levando pra longe
Vencendo a distância
E embalando no tempo
Pensando ser dono
De tudo e de todos
Na onda criada
Tal qual uma duna
Viajo e volto
Espero e refaço
E numa das ondas
Encontro você.

(Geraldo Afonso)
Auto-retrato

Entre os matizes de luz e sombra
Tenho um retrato da vida
Que estampe em meu rosto
A beleza das coisas simples.

Busco pincelar minha vida
Com o perfume das rosas cálidas
E com o segredo que sopra o vento
Das auroras não nascidas.

Quero um desenho da vida
Que revele os acordes do silencio
Que me fale do amor e da esperança
Como possibilidades neste instante.

Invento novas cores e arco-íris
Pra quando anoitecer por dentro.
Às vezes,erro,borro minha tela
Então recomeço outra pintura do ser.

Este é meu auto-retrato do renascer!

(Marta Reis)
Há sempre um novo amanhecer

Por mais que a noite seja escura e triste
A promessa de um novo dia sempre existe,
É que vem chegando a brilhante aurora
E toda a plangente agonia vai logo embora...
Com o nascer de um colorido dia
A esperança se renova com alegria,
Tudo é luz,tudo é enlevo,tudo é encanto
E da alma vem um sonoro e lindo canto...
Chega a aurora com seu intenso esplendor
Que faz com que a vida exploda em cor
Em um cenário de grandiosa magia
Onde o nosso coração se reflete em poesia...
Poesia porque a aurora nos faz entender
Que sempre, sempre há a chance de crescer,
Evoluindo para um mundo de mais calor
Onde reina com grandeza a dádiva do amor
Amor a tudo que nos cerca na natureza
A nossa mãe tão plena de paz e de beleza...
Pena que muitas vezes não notamos a aurora
A nos dizer que nosso instante é agora
A nos dizer que a vida é simples e bela,
Basta abrirmos dos nossos sonhos, a janela
Basta olharmos o caminho a nossa frente
E por ele seguirmos confiantes tão somente!

(Sônia Maria Ditzel Martelo)